Tag Archive for Gestão

O gerente, suas habilidades e competências

Há alguns meses assumi o cargo de Gerente de Tecnologia e tenho buscado desenvolver competências e habilidades gerenciais. Neste artigo farei  reflexões sobre o papel do gerente e características do seu trabalho (alguns pontos foram baseados no livro “Como ser um Gerente Melhor” de Michael Armstrong).

Para que serve a gerência? Podemos afirmar que os gerentes existem para alcançar resultados e que gerenciar é decidir o que fazer e conseguir que isso seja executado por outras pessoas.

Entretanto os gerentes não podem delegar tudo e muitas vezes devem se envolver pessoalmente e contar com seus próprios recursos para que as coisas aconteçam. Estes recursos podem ser: experiência, habilidades, competências e tempo onde estes devem ser usados para dirigir e motivar as pessoas, compreender situações e na análise de problemas.

O papel do gerente e natureza do seu trabalho

Os principais processos gerenciais foram definidos como sendo: Planejar, Organizar, Liderar e Controlar. Esta visão tem sido questionada pois o trabalho dos gerentes é fragmentado, variado e sujeito a ajustes contínuos.

Os papéis gerenciais estão ligados basicamente a:

  • fazer que as coisas sejam executadas (planejar à frente, manter o impulso e fazer com que as coisas aconteçam);
  • descobrir o que está acontecendo;
  • reagir a situações que surgem e a novos problemas;
  • responder às demandas e solicitações.

Estes papéis envolvem comunicação, relações interpessoais, análise de informações e tomada de decisões.

Estudos indicam que os gerentes gastam seu tempo em atividades caracterizadas pela fragmentação, brevidade e variedade. Isto acontece por algumas razões:

  1. Gerentes lidam com pessoas. Sabemos que o comportamento das pessoas é imprevisível; suas exigências e respostas são condicionadas pelas circustâncias, pressões às quais tem que reagir e por seus desejos e necessidades individuais. Surgem conflitos que devem ser solucionados.
  2. Os gerentes muitas vezes não controlam os fatos que afetam seu trabalho. Demandas súbitas são impostas de dentro e de fora da empresa e podem ocorrer crises que eles são incapazes de resolver.
  3. Espera-se que os gerentes sejam decisivos e lidem com as situações à medida que elas surgem. Portanto as prioridades constantemente são abandonadas ou modificadas.
  4. Com frequência trabalham em condições de turbulência e ambiguidade. Portanto muitas vezes tendem a ser reativos em vez de proativos pois não sabem claramente o que se espera deles quando surgem novas situações.
  5. Pelo que foi exposto percebemos que os gerentes estão sujeitos a constantes interrupções e frequentemente trabalham sob pressão. Tem pouco tempo para parar e pensar a respeito de planos e prioridades e precisam gerenciar em condições de turbulência, ambiguidade e incertezas.

O gerenciamento é um processo que existe para obter resultados, fazer com que as tarefas sejam executadas, fazendo o melhor uso possível das competências das pessoas e dos recursos financeiros e materiais à disposição.

Os gerentes em geral não são tomadores de decisão lentos e metódicos, mas sim executores que precisam reagir rapidamente aos problemas à medida que surgem e pensam de forma independente.

As atividades gerenciais são divididas por contradições, por pressões conflitantes e pela necessidade de enfrentar e solucionar conflitos. Muito tempo é gasto pelos gerentes explicando o que fazem, em relacionamentos e comunicações informais e “participando”.

Qualidades Gerenciais

Algumas qualidades e características comuns aos gerentes de sucesso:

  • Conhecimentos profissionais relevantes.
  • Sensibilidade continuada aos eventos.
  • Disposição para trabalhar duro.
  • Habilidades analíticas, para a resolução de problemas e a tomada de decisões.
  • Tomada de decisões em condições de ambigüidade.
  • Habilidades sociais.
  • Resiliência emocional (para lidar bem com a pressão).
  • Proatividade.
  • Criatividade.
  • Resolução de conflitos.
  • Autoconhecimento.
  • Perseverança e determinação.
  • Hábitos de aprendizado e habilidade equilibrados.
  • Disposição para assumir riscos.
  • Capacidade de inspirar entusiasmo.

Gerente eficaz

O gerente é avaliado não só pelos resultados mas também pelo nível de conhecimentos e competências que atingiu. Competência se refere a conhecimento e habilidades – o que as pessoas sabem e são capazes de fazer para executar bem o seu trabalho.

O gestor também será julgado pelo modo como faz o seu trabalho – como se comporta usando seus conhecimentos e habilidades. Costumam ser definidos como “competências comportamentais” e podem ser definidos como aspectos do comportamento gerencial que conduzem a um desempenho efetivo. Elas se referem às características pessoais que as pessoas trazem para seus papéis no trabalho em áreas como liderança, trabalho em equipe e comunicação.

Muitas empresas definem estruturas de competências exigidas para medir o sucesso dos seus profissionais. Os gerentes que desejam progredir precisam desenvolver essas competências e conhecer os tipos de comportamentos que são esperados deles. Exemplo de estrutura de competências:

  • Orientação para resultados
  • Identificar e explorar oportunidades de negócio
  • Comunicação
  • Foco no cliente
  • Desenvolvimento do pessoal
  • Liderança
  • Planejamento
  • Resolução de problemas
  • Trabalho em equipe.

Peter Drucker diferenciou para sempre as palavras “eficiente” e “eficaz” no jargão do management: ser eficiente é fazer certo as coisas, enquanto se eficaz é fazer as coisas certas.

No livro O Gerente Eficaz, Peter Drucker se propôs a provar que eficácia é algo que pode ser aprendido. Segundo ele, os executivos eficazes são os que se apropriam de cinco práticas ou hábitos:

  1. sabem administrar seu tempo;
  2. perguntam-se “como posso contribuir?” e concentram seus esforços nos resultados deles esperados e não no trabalho;
  3. trabalham a partir de suas forças e não se baseiam em (consertar) suas fraquezas ;
  4. sabem colocar “first things first”, ou seja, priorizam as áreas em que uma execução superior poderá fazer diferença;
  5. sabem tomar as melhores decisões, utilizando o que Drucker define como os cinco elementos da tomada de decisão eficaz. Poucas decisões, mas fundamentadas.

Os gerentes aprendem através da experiência. A experiência é um instrumento essencial para aprender a ser um bom gestor possibilitando a melhora das competências e habilidades, entretanto ela ensina de forma lenta e à custa de erros… um gerente “júnior” necessita de orientação de um mentor (por exemplo um gerente competende e com maior experiência) e de outras fontes como bons livros e cursos de aperfeiçoamento.

Gerenciar em condições de turbulência, ambiguidade e incertezas e saber tomar as melhores decisões são habilidades chaves para o sucesso gerencial.

E lembre-se que gerenciar é uma habilidade que pode ser aprendida. Você pode ser um gerente melhor ao trabalhar diariamente as habilidades que você deseja aprender.