10 anos de Software Livre

Dizem que recordar é viver…

Em 2008 completou 10 anos desde que comecei a utilizar Linux. Farei um relato de minhas experiências com o Software Livre.

Era 1998, mudança para Foz do Iguaçu-PR, calouro do curso de Ciência da Computação da UNIOESTE (Universidade Estadual do Oeste do Paraná) fui apresentado – pelos veteranos – ao sistema do pinguim.

Debian

O Laboratório de Programação era dual boot (Win98 e Debian) e havia um detalhe: no Windows a Internet era bloqueada pelo admin, mas no Linux o pessoal descobriu uma forma de burlar o bloqueio e acessar a Internet. Acontece que toda vez que eu ia ao outro laboratório de acesso à Internet (que tinha só Win98) esse se encontrava lotado, então o jeito era voltar ao Laboratório de Programação,  acessar o Linux e abrir o Netscape… tive um bom incentivo para aprender a utilizar o Linux 😉

O Debian rodava em um “poderoso” Pentium 133 MHz. Gostei da console, me senti à vontade pois meu primeiro aprendizado de informática foi o MS-DOS. Lembro ter achado o máximo aprender a dar telnet em outro servidor e executar o ELM para ler meu e-mail. Alguém chegou a utilizar o ELM? ainda existe?

O ambiente gráfico era o Icewm, achei-o diferente do Janelas, tosco, feio mas usável. O browser era o Netscape, que na época arrasava a concorrência. Meus próximos passos foram:

  • Conhecer, estudar e admirar a filosofia do Software Livre;
  • Instalar o Debian no meu primeiro computador, um 486 DX4 100 MHz (computadores eram muito caros naquela época).

Aquele possante 486 tinha até memória RAM ECC. Deixei o sistema com dual boot pois necessitava executar o IDE da Borland (Turbo Pascal) no Win95 para desenvolver os programas que eram passados pelo mestre Jorge Habib. O Win95/98 era um verdadeiro fenômeno desastre de instabilidade, falta de segurança e má utilização dos recursos da máquina. Neste cenário achei o Debian e seu APT a sétima maravilha da computação.

A seguir um resumo do cenário existente nos idos de 1998:

  • Netscape anuncia que vai liberar o código fonte do seu navegador sob uma licença livre.
  • O Termo “Open Source” é criado nos EUA. Começa um maior esforço para promover o Linux para uso corporativo.
  • Informix e Oracle anunciam suporte ao Linux (Red Hat).
  • Surge o Google, que é baseado em Linux. Nessa época eu era fã do AltaVista.
  • IBM anuncia que distribuirá/suportará o Apache após um acordo com o time do Apache.
  • “Como muitos outros produtos gratuitos você consegue uma legião de seguidores, mesmo que essa legião seja pequena. Eu nunca ouvi qualquer cliente nosso mencionar algo sobre Linux” — Bill Gates, PC Week, 25 de junho de 1998.
  • “… esse sistema operacional não será utilizado largamente em aplicações comercias pelos próximos três anos, nem mesmo será suportado por desenvolvedores de aplicações” — Gartner Group informa que há poucas esperanças para o Software Livre.
  • Grande polêmica: memorando confidencial da Microsoft sobre a estratégia contra Linux e o Open Source vaza e chega às mãos de Eric Raymond que adiciona seus comentários e libera para a imprensa no fim de semana do Halloween. Por causa da repercussão a Microsoft é forçada a reconhecer a autenticidade do infame Documento do Halloween. Essa é a primeira vez que se ouve da própria Microsoft que o Linux representa grande competição.
  • Relatório do IDC diz que a adoção do Linux cresceu mais de 200% em 1998, e que seu market share cresceu mais do que 150%. Linux atinge 17% de market share e cresce a taxas não acompanhadas por nenhum outro sistema no mercado.

Nos idos de 1998/1999 assisti na universidade uma palestra ministrada pelo Sandro Nunes Henrique (fundador da Conectiva) e pensei: “Linux vai dar dinheiro, vou investir nele e trabalharei com Software Livre depois que terminar a graduação“.

A partir desta época passei a utilizar o Linux para programar e fazer os trabalhos da faculdade e também fui integrante do Grupo de Pesquisa em Redes de Computadores coordenado pelo prof. Antonio Marcos Hachisuca (Shiro).

Lembro que fiz um upgrade no meu PC e resolvi instalar o KDE no Debian. Na época era complicado fazer o KDE funcionar pois os desenvolvedores não facilitavam esta tarefa devido a uma briga que existia com o KDE: a biblioteca QT possuia licença considerada problemática pelo pessoal do Debian. Depois de algumas horas ver o KDE funcionando foi emocionante.

A partir de 2002 comecei a estudar o Linux mais seriamente. Foi através do Linux que realmente entendi o funcionamento de um sistema operacional; me aventurei a compilar o kernel, estudei Apache, syslog, Samba e em 2003 fiz meu primeiro firewall Iptables.

Em 2004, trabalhando no ITAI, participei na implantação do Projeto Software Livre da Itaipu Binacional. Uma das atividades foi montar uma solução de servidor LTSP e thin clients para os Telecentros que foram implantados no Brasil e no Paraguai. Também criamos uma distribuição Linux (live cd baseado no Knoppix).

Neste período estudei e implantei na Itaipu Binacional as ferramentas de monitoramento Cacti e Nagios e coordenei o desenvolvimento de um portal de Gerenciamento de Redes baseado na intregração de ferramentas de Software Livre. Esta foi uma fase de grande aprendizado e diversão junto com os colegas Carlos Eduardo Santiviago (sempre disposto a compartilhar seu conhecimento), Jackson Gobbo, Marcos Dellazari, Jaime Nelson Nascimento, Marcos Siríaco Martins e tantos outros.

Desta época também recordo das Installfest que realizamos, da criação da estrutura computacional do PTI (Parque Tecnológico Itaipu), da aprovação na Certificação LPIC-1 (Administrador Linux nível 1), do PSL Trinacional e do surgimento da primeira edição do evento Latinoware.

Em 2005 fui sócio fundador da Prognus Software Livre, empresa criada para suporte e desenvolvimento de soluções em Software Livre.

Em meados de 2006 deixei a Prognus e passei a integrar a Fundação Parque Tecnológico Itaipu, onde até hoje sou responsável pela administração da infra-estrutura de TIC do PTI (Parque Tecnológico Itaipu). No PTI temos:

  • 23 servidores com Debian GNU/Linux e 03 servidores com Suse Enterprise.
  • Cerca de 100 estações de trabalho com Ubuntu Linux (este número aumentará pois estamos em processo de migração).

Considero que desde 1998 o Linux passou por uma evolução fenomenal em qualidade, robustez e também em facilidade de uso. Hoje o Linux adentrou as portas das grandes corporações e grande parte dos negócios mais inovadores rodam em plataforma livre. Iniciativas como o Ubuntu contribuiram para levar o Linux a um número muito maior de usuários finais.

Resumidamente esta tem sido minha trajetória no mundo do Software Livre. Fique a vontade para comentar e também para compartilhar suas experiências relacionadas ao simpático sistema do pinguim 🙂

Vida longa ao Software Livre! Vida longa ao Linux!

11 Comentários até agora »

  1. Relato de 10 anos de uso de Software Livre comentou:

    Wrote on October 31, 2008 @ 15:36

    […] por Silvio Henrique Mendes (silvioΘmendes·me) – referência […]

  2. 10 anos de Software Livre - TI Brasil.org - ONG em Prol do Software Livre! comentou:

    Wrote on October 31, 2008 @ 16:22

  3. Wendell comentou:

    Wrote on October 31, 2008 @ 17:13

    Silvio, seu relato contagiante me fez recordar os primeiros passos no Linux. Tempo do Conectiva 5, internet discada e modem hsp. Aprendi muito nessa época e fui buscando a cada dia mais entender sobre esse fantástico sistema operacional. De galho em galho passei pela Conectiva, Red Hat, Debiam TechLinux, Mandrake, Kurumin, SuSe e outras tantas que até nem lembro. Confesso que a melhor coisa que aconteceu foi ter tido a chance e a oportunidade de entrar no mundo open source. Parabéns pelo relato e comovocê mesmo disse, “vida longa ao SL e vida longa ao Linux”.

  4. Lucas Rocha comentou:

    Wrote on October 31, 2008 @ 18:39

    O Linux realmente nos estimula muito a aprender, meu primeiro contato foi com o kurumin (acho q a versão era a 5) em 2004 (ou foi 2005? hehe) tinha uns 14/15 anos na época e não sabia nada sobre o verdadeiro funcionamento de um computador, hoje me sinto tão apaixonado pela área que estou cursando redes de computadores na facul e finalmente sei oq qro de minha vida…
    e devo isso ao Linux!

    “vida longa ao SL e vida longa ao Linux”. [2]

  5. Gabriel Rezende comentou:

    Wrote on October 31, 2008 @ 20:53

    Gostei, apesar de não ter passado por essa época e ter conhecido o Linux a pouco anos acho legal saber mais ou menos como ele evoluiu, abraço!

  6. silvio comentou:

    Wrote on October 31, 2008 @ 22:58

    Agradeço a participação de vocês comentando e compartilhando suas experiências, incluindo os mais novatos e os já experientes no uso do GNU/Linux.

    O Linux nos estimula a conhecer como o sistema realmente está estruturado e como ele funciona… e isto é bom para nós profissionais.

    E hoje para quem quer apenas utilizar o sistema sem se aprofundar muito, temos distros como Ubuntu, Fedora, Mandriva e OpenSuse que tem feito um grande trabalho neste sentido…

  7. Juliano Martins comentou:

    Wrote on October 31, 2008 @ 22:58

    Oi Silvio. É muito legal ver esses relatos e fazer uma comparacão com oq estávamos fazendo no mesmo período.

    Olhe meus 10 anos aqui: http://jmmwrite.wordpress.com/2008/01/04/10-anos-de-linux-em-minha-vida/

    Temos muita coisa em comum.

    E que venham mais 10 anos! 😀

  8. silvio comentou:

    Wrote on October 31, 2008 @ 23:04

    Juliano, excelente o seu relato 🙂 realmente várias semelhanças nas nossas experiências com o Linux.

    As vezes é bom a gente olhar para trás e ver como tudo tem evoluído… algumas tarefas que eram tão difíceis de realizar hoje são triviais, por exemplo a ótima detecção de hardware das distros atuais (pelo menos as mais voltadas para desktop).

    Abraços

  9. Allison Vollmann comentou:

    Wrote on November 3, 2008 @ 09:23

    Realmente é muito gratificante ver essa sua experiência, até porque eu conheci o linux +- nessa época, mas como eu ainda era muito muleque, eu só pensava em coisas inúteis, só cheguei a conhecer o sistema mesmo a uns dois anos, e digo foi a maior maravilha do mundo, ter essa oportunidade foi incrível, eu acredito que para uma pessoa com afinidade na área de computação só precisa conhecer o mundo opensource para realmente ficar fascinado por ele.
    O que me deixa desapontado é que hoje, muitas universidades ainda não demonstram interesse em incluir o GNU/Linux e outras ferramentas livres em sua grade de ensino, e o pior disso, até mesmo em um curso de ciências da computação, incrível não acha?
    Eu acredito que hoje, um profissiona de TI que não tem um mínimo conhecimento sobre GNU/Linux pode ser considerado ignorante, pois é algo que está ocupando cada vez mais espaço, sou obrigado a conviver com pessoas que defendem com unhas e dentes a M$ sem motivos, fazem propaganda gratuita e não ganham nada com isso, simplesmente porque não conhecem o GNU/Linux, se você desenvolve para o Windows, você está dando parte do seu retorno para a M$, colaborando com o Oligopólio e a desigualdade social, infelizmente para a situação mudar ainda vai levar muito tempo, vai depender do esforço de todos.

    Mas eu não vejo a hora de chegar aos 10 anos. E que você chegue a mais 10.

    Abraços

  10. Carlos Eduardo Pedroza Santiviago comentou:

    Wrote on December 4, 2008 @ 09:13

    Grande Silvio! Realmente, foram ótimas experiências que tivemos, e com certeza, ainda teremos muito mais!

    E imagine, ainda foram 10 anos… pense quando alcançarmos a maioridade! 🙂

  11. Marcos Fogel comentou:

    Wrote on January 15, 2010 @ 13:43

    Olá Silvio (permita-me)

    Parabéns pelo relato, belo exemplo de vida e perseverança.
    Sou usuário Linux apenas, meio preguiçoso de aprender .. rss, já tive mais interesse, confesso, até porque iniciei-me como usuário de informática por volta de 1985, isso após comprar clandestinamente (de um militar .. rss) um NEZ-8000, aqueles bichinhos de teclado de membrana flexível (bolha) .. rss, e, mesmo não sabendo nadinha de inglês, consegui na época desenvolver um sistema de controle fiscal da rede de supermercados para qual eu prestava serviços na área, tendo sido o primeiro “computador” que foi empregado na referida empresa (logo de um funcionário merreca .. rss). Tenho muito orgulho disso, embora reconheça que foi pouco até, claro, diante de sua empleitada digna.

    Parabéns

    Em tempo: Não querendo abusar já abusando .. rss, é razoável eu implantar um sistema caseiro (3 máquinas em rede na máximo) usando Thin Client ?
    Meu objetivo principal: uso 2 máquinas em rede acessando internet práticamente o dia inteiro e se bobear noites igualmente .. rss, quero diminuir custos com contas de luz, ta complicado .. rsss.

    Caso não queira responder, sinceramente, saberei entender e meu apreço e admiração (mesmo não tendo o prazer de conhece-lo pessoalmente, continuara o mesmo, não tenhas dúvida.

    Fique com Deus, saúde e paz no coração.

    Marcos Fogel e Elena Montoya

Comment RSS · TrackBack URI

Deixe seu comentário

Nome: (Required)

E-mail: (Required)

Website:

Comentário: